28 3521-3185

Paróquia / História

Passo a transcrever no livro do tombo da Nossa Paróquia testemunhos de fiéis cristãos que experienciaram a caminhada de fé do povo que preparou a instalação da paróquia de São Felipe.

 

Por volta de 1931, foi fundada pelo Frei André Ernandes da Ordem Agostiniana a Capela da Localidade denominada Campo de São Felipe, a qual se localizava nas proximidades do Atual Campo de Aviação. Em virtude da inexistência de Capelas em outras localidades vizinhas, comunidades Santa Fé de Baixo, Santa Fé de Cima, Córrego do Óleo entre outras também freqüentavam a nossa Capela. As missas eram celebradas esporadicamente, em geral, por ocasião da festa do Padroeiro São Sebastião, ou seja, uma vez ao ano. A fé da comunidade se sustentava com a realização de ladainha que ocorriam com direcionamento da própria comunidade. Depois de algum tempo de existência da Capela o Terreno em que ela se encontrava juntamente com o cemitério, foi desapropriado para a instalação do Campo de Aviação. A comunidade se encontra no desafio de encontrar novo lugar para a capela. Nesse período o Frei Daniel, então padre da Capela fez realizar uma eleição com direito a voto todos os maiores de 18 anos, já que havia uma não concordância entre as famílias da comunidade quanto a esse novo local. De um lado as famílias Pancini, Pecini, Fulim, Silvério e Campos, gostariam que a igreja já ficasse na parte de cima da localidade e de outro lado as famílias Tirello, Calegari, Facini e Laquini na parte de baixo com o fim da eleição ganham as famílias da parte de baixo; o que ocasiona algum descontentamento e até dispersões. A comunidade passa então a se reunir em oração na casa do Sr. Manoel Bernado, até conseguir melhores instalações. Por volta de 1949 o Sr. José Demétrio Facini, doa um terreno para a construção da nova capela, com a união de toda a Comunidade com doações em dinheiro e de trabalho, aproveitando a madeira da antiga Capela, em 1950 é inaugurada a Canônica para onde foram transferidos os encontros da comunidade; o esquema de missões continuava o mesmo apenas esporadicamente, no entanto a Liga, o Apostolado e a Cruzada já faziam parte dos trabalhos da Comunidade. No ano de 1952, perseverantes na fé e na esperança de dias melhores, o povo continua sua caminhada e, em pouco tempo consegue construir a nova capela através de doações. No ano de 1954, a comunidade é presenteada com uma visita de uma ação missionária que passa vários dias na comunidade realizando confissões e missas, ao fim de sua visita ergueram um cruzeiro como símbolo de sua passagem.

 

Por volta de 1955, com a divisão da paróquia de São Pedro entre as Ordens Agostinianas e secular, a Comunidade do Campo de São Felipe, passa então a ser assistida por padres seculares, e aí começa um novo tempo. A partir de 1956, as missas começaram a ser celebradas mensalmente e a comunidade com maior assistência de seu pastor toma novo impulso, tendo a sua frente o Padre Murilo Marques Soares, que caminha com a comunidade até por volta do ano de 1980. Neste período de 24 anos a igreja cresceu vertiginosamente, e começou a abertura de novos espaços, na década de 70, no ano de 1974 é fundado o MOJOA – Movimento Jovem do Aeroporto, que conseguiu arrebanhar a população jovem a uma vida ativa dentro da igreja. E não parou mais de crescer, chegando a conclusão no ano de 1980 que a capela não comportava mais a quantidade de fiéis, o que tornaria necessário a construção de uma nova Capela.

 

A partir de 14 de junho de 1981, chega à comunidade o Pe. Jefferson Luiz de Magalhães; com o objetivo da construção da nova capela, a diretoria da Igreja vai ao Sr. Bispo Dom Luiz Gonzaga Pelluzo pedir a aprovação da planta e do livro de doações, aprovação essa negada pelo Sr. Bispo alegando que a comunidade do Aeroporto devia colaborar com a construção da capela do BNH, que já havia começado. No entanto, sem desanimar, a comunidade encontrava no Pe. Jefferson o seu protetor e com a ajuda dele fazendo um pedido especial ao Bispo a planta é aprovada e a nova capela poderia assim ser construída. Inicia-se então a obra com doações vindas de até outros municípios, centro da cidade e principalmente da comunidade. Em 20 meses a obra saiu de sua pedra fundamental até a 3ª laje da casa paroquial. A comunidade então convida o Sr. Bispo para celebrar missa e tirar o 1º tijolo da antiga capela marcando a demolição simbólica, já que a capela maior fora construída por fora da antiga. Com a eleição da nova diretoria administrativa a Capela entra em fase de acabamento a comunidade a cada etapa da construção terminada aumenta suas esperanças de realizar o seu sonho a transformação da Igreja do Aeroporto em Paróquia. Em setembro de 1989, recebemos então mais uma mudança, chega a nossa comunidade o Padre Ériton Luiz C. Nery, e com ele uma caminhada de mudanças radicais, não mais em obras materiais, mas sim na obra maior da Evangelização são propostas a criação de varias pastorais e a comunidade apesar das dificuldades de adaptação, aceita o desafio e começa essa nova caminhada, tendo à frente um pastor organizado e exigente que propõe objetivo aparentemente inalcançáveis por que quem ama quer que sempre alcançamos o que há de melhor e demonstra isso quando nos agracia com a chegada do seminarista Helder que vem nos ajudar a nos enquadrarmos na nova realidade da Igreja nos fortalecendo na caminhada. Tempos depois continua a caminhada da comunidade só que agora com o Diácono Helder, e em maio de 1991 o Padre Helder Salvador. Em agosto do mesmo ano a capela recebe o novo Padre Helder Salvador. A comunidade do Aeroporto começa então uma nova etapa, reagrupando as mesmas comunidades vizinhas de antigamente em torno de si, se unem, se fortalecem e nasce a “Quase Paróquia de São Felipe”. A partir de meados de setembro de mil novecentos e noventa e hum, com uma reunião na Igreja da Comunidade Eclesial de São Sebastião no Aeroporto em Cachoeiro de Itapemirim – ES, onde se encontravam presentes D. Luiz Mancilha Villela, Bispo desta Igreja, Pe. Antonio Rômulo Zagotto, coordenador geral de Pastorais, Pe. Darcy Altóe e Pe. Helder Salvador, reitores no seminário Bom Pastor. Contava também com a presença dos representantes dos Conselhos das Comunidades Eclesiais: São Sebastião, Imaculada Conceição, Sagrado Coração de Jesus, São João Batista, Santa Luzia, Nossa Senhora da Penha, São Braz, São Roque e Sagrada Família. Estava também no local a Equipe Econômica já formada por Daniel Faria de Jesus, Valdemiro Tirello, Pedro Faria, Edmilson Ceccon e Marilia Poleto e a secretária Suely Tirello Sepúlveda.

 

Esta reunião aconteceu por que estas comunidades que eram o setor quatro da Paróquia do BNH, Nossa Senhora da Penha, sentiram a necessidade de caminhar independentes visto que a realidade é diferente. Unidas as comunidades apresentaram a D. Luiz o trabalho que vinham desenvolvendo até o momento e a pretensão pastoral no caso do setor vir a se tornar Paróquia. D. Luiz gostou muito da animação do povo e disse que poderia fazer um documento no qual nos elevaria a condição de Paróquia mas achou por bem caminharmos ainda um tempo para maior firmeza e comprometimento com o Evangelho de Jesus Cristo e nos prometeu um documento no qual adotaríamos o titulo de “Quase-Paróquia de São Felipe”, não tendo data definida para a instalação da mesma.

 

Continuamos nossos trabalhos em comunidades e também a nível Quase-Paroquial com a formação do CPP todas as comunidades pertencentes já tinham os seus conselhos formados.

 

Com esta nova caminhada o Pe Helder assumiu no lugar do Pe Hériton o trabalho como vigário Paroquial dando assistência  a todos e nos ajudando no discernimento pastoral e evangélico. Durante este período todas as comunidades e a equipe econômica da Quase-Paróquia se empenharam muito para a secretaria começar a funcionar para que o carro do Pe fosse comprado, enfim para que pudéssemos dar os primeiros passos a nível de uma Paróquia pois logo após a Reunião das comunidades com o Sr. Bispo tivemos uma outra com a coordenação Paroquial e com o Pároco, Pe Eriton, da Paróquia N. Senhora da Penha, na qual ficou acertado que assumiríamos a caminhada como Quase-Paróquia já independente tanto pastoralmente, quanto economicamente.  

 

Durante este período caminhamos a nível de CPP sem coordenador, nos acompanhava a Mariana A. Coelho, agente setorial do setor quatro do BNH que ficou ainda conosco nesta fase inicial dos trabalhos. Mas devido a ela ter que desempenhar trabalhos em sua comunidade eclesial e por ser este o lema da Quase-Paróquia e também a própria caminhada nos exigir fizemos uma eleição para a coordenação paroquial sendo eleita Marília Poleto.

 

Dado estes passos assumimos o rosto da Quase-Paróquia de São Felipe e também as diretrizes Pastorais, principalmente do Batismo que nós mesmos ajudamos a preparar e aprovar e que veio a se tornar um documento.

 

Como todo cristão que trabalha empenhado com a causa do Evangelho precisa de aprofundamento e formação, tivemos um retiro no inicio, do ano de 1992 no Seminário Bom Pastor, pregado por Ir. Marina e dirigido a todos os membros do CPP e mais os tesoureiros de cada comunidade mas a caminhada não está completa o sonho falta pouco, mas ainda não é Real.

 

A esperança de um novo amanhecer que palpita no coração de cada cristão das comunidades nos fez assumir com maior ardor missionário o sonho que no dia 23 de fevereiro de 1992, coroou toda essa história de sacrifícios, doação e principalmente de fé; é instalada definitivamente depois de 60 (sessenta) anos do inicio de sua caminhada a “Paróquia de São Felipe”, coroando desta forma de uma maneira especialmente triunfante todo esse trabalho de vivencia cristã. Fim. (Da história, mas inicio de uma longa e difícil caminhada. Que Deus nos ajude. Amém).

 

Cachoeiro de Itapemirim, 23 de fevereiro de 1992.

Helder Salvador (Pe.)

 

 

28 3521.3185 / 28 99944.0221
Rua Humberto Tirello, 03 - Bairro Aeroporto
CEP: 29314-110 - Cachoeiro de Itapemirim - ES

 

© Paróquia São Filipe. Todos os direitos reservados.

Produção / Cadetudo Soluções Web